Minha carta a Lula

Querido companheiro,

Não há palavras em todas as cartas que já tenha recebido para confortar a sua indignação e a da população. A ignomínia perpetrada pela mais sabuja das elites mundiais é, imediatamente, contra a sua pessoa, que padece de uma inaudita perseguição. Porém, a concretude da sua atual realidade é menor do que o simbólico da sua pessoa, que é a ideia que materializou cerca de 20 milhões empregos criados com carteira assinada e provocou, ainda que modestamente, mobilidade social.

O pouco avanço social, em relação ao potencial econômico do País, se deve exclusivamente à elite que mantém, no Congresso Nacional, mais de 300 picaretas com anel de doutor. A composição da base de apoio no CN sempre foi volátil, notadamente as traições do MDB, que influencia partidos menores. Enfim, apesar dessa corja sanguessuga da nação, houve avanços civilizatórios durante os governos do PT, dignos de uma indicação ao Nobel da Paz. Transposição do Rio São Francisco, MCMV, Cisternas, submarino nuclear, livros nas escolas, aplicação de 75% dos royalties para a educação e o Brasil fora do Mapa da Fome, monitorado pela ONU.

Enfim, querido presidente, peço ao universo que lhe dê tranquilidade, paciência e força para passar por mais essa provação dessa mixórdia da qual se é possível sentir o cheiro de interesses internacionais. Contamos com a sua participação e eleição no pleito deste ano para reconduzir o País ao caminho do crescimento e do desenvolvimento econômico, com justiça social, até que desapareça a última das senzalas. Oxalá nos veremos na sua posse, em 2019. Este País não terá paz enquanto o projeto não for restabelecido. E esse projeto é uma ideia que se chama Lula. Um forte e fraterno abraço, companheiro.

Enio Verri