Verri analisa precarização do emprego no Brasil

O deputado Enio Verri (PT-PR) alertou em plenário sobre o aprofundamento da miséria dos trabalhadores brasileiros com a política econômica do governo golpista de Michel Temer. Ele cita dados do IBGE que revelam que de cada dez empregos gerados, sete são na economia informal. “Neste momento que o governo diz que está havendo uma recuperação, que eu não estou vendo, não está criando nada de sério para o trabalhador. São subempregos, em que ganham às vezes menos que o salário mínimo, que entram nessa conta”, denunciou.

Outro dado, que na avaliação do deputado Enio Verri é importante analisar, é o de que o salário médio dos trabalhadores tem aumentado. “Eu quero dizer que, de fato, o salário médio dos trabalhadores tem aumentado. Isso porque, quando se aumenta muito a demissão, o empresário demite por último aquele trabalhador qualificado que ele treinou, porque, quando a economia se recuperar, ele vai ter que recontratar esse trabalhador e pode não encontrá-lo no mercado”, explicou.

Enio Verri reforçou ainda que em momentos de crise os primeiros a serem demitidos são aqueles que não têm qualificação nenhuma, aqueles que ganham menos. Consequentemente, ficam empregados os trabalhadores mais qualificados, que, portanto, ganham mais. E como só eles estão empregados, no cálculo da média o salário médio sobe. “Portanto, é importante deixar claro que o salário médio está mais alto não é porque a economia está melhorando, mas é, pelo contrário, porque a economia está piorando”, lamentou.

Reforma Trabalhista – O deputado do PT paranaense lembrou ainda que no dia 1º de novembro entra em vigor as mudanças nas leis trabalhistas (Reforma Trabalhista). E, segundo Enio Verri, os dados apontam que haverá uma redução do desemprego.

“Ora, o que é essa redução do desemprego? Primeiro, é o salário na economia informal. Segundo, só ficam os qualificados. Terceiro, com o trabalho intermitente e com a terceirização, vai haver mais pessoas comprometidas com o emprego, mas ganhando muito menos. Então, vai haver mais pessoas ocupando cargos, haverá uma redução do desemprego, só que a massa salarial brasileira vai reduzir muito”, alertou.

Enio Verri concluiu afirmando que isso será muito ruim para os municípios e ruim para o País e, em especial, para os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros, “que irão continuar trabalhando muito, só que ganhando cada vez menos”.

Vânia Rodrigues do PT na Câmara