Na Caravana Requião, Enio Verri destacou fome e desemprego como desafios do Paraná

O deputado federal Enio Verri participou da Caravana Requião em Jacarezinho e comparou as semelhanças entre o governo do Paraná e do Brasil

O deputado federal Enio Verri destacou que a fome e o desemprego são os principais desafios do próximo governo, no Paraná e em todo o Brasil. O parlamentar participou da Caravana Requião, Me Chama Que Eu Vou chegar, nesta quinta-feira (7), em Jacarezinho, Norte Pioneiro do Paraná. O evento reuniu cerca de 300 lideranças suprapartidárias e de movimentos populares e sindicais de 17 municípios.

Para Verri, sem as políticas públicas sociais, a crise trouxe de volta a fome para o Brasil e para o Paraná.

“O Brasil hoje vive a sua maior crise. Posso dar um exemplo de alguém que tem 60 anos. Quando eu era garoto, após o jantar a minha mãe sabia que teria pessoas na rua à procura de comida. Com os governos Lula e Dilma isso acabou, mas, hoje, voltou. As pessoas estão revirando o lixo, comendo resto de comida. Nunca pensei que um dia íamos regredir tanto na qualidade da vida das pessoas e com o aumento do desemprego. O povo hoje não tem esperança. Temos um presidente e um governador que acabaram com os instrumentos, que deveriam servir aos interesses da população.”, disse o deputado federal.

O deputado também ressaltou que o Estado existe para assessorar e ajudar a melhorar a vida dos mais pobres. No entanto, afirmou que o atual e o último governador do Paraná priorizaram privatizações e a redução do tamanho da gestão pública, deixando os servidores estaduais já a cerca de sete anos sem reajustes de salários. Resumiu que o Paraná segue a mesma política econômica de Paulo Guedes, ministro da Economia.

Para Enio Verri os governantes em nível nacional e estadual são bem parecidos. “A prática de política econômica e de inclusão social são as mesmas: exclusão e miséria. Por isso, precisamos recuperar a palavra-chave: esperança. Acreditar na nossa organização, na nossa luta. Tive a honra de ser secretário de Estado no Governo Requião e foi um período de grandes transformações nesse estado, fizemos ações fortes para educação, agricultura, saúde e desenvolvimento local voltado para as regiões mais pobres”. E completou, “precisamos nos organizar com reuniões, diálogos, e trazer todo mundo para um projeto do povo paranaense, de construir um Estado mais justo”.

Em sua fala, Roberto Requião também afirmou que o Paraná de hoje é reflexo do que acontece no país. “Se quisermos modificar uma realidade, em que pobre come carne de descarte de açougue, nós temos que conhecê-la em profundidade. Senão, mais uma vez, teremos o voto emocional, acima da racionalidade. Estamos vivendo uma revanche do capital financeiro, é uma consequência histórica”, frisou o ex-governador.

Requião relembrou movimentos históricos em busca de melhorar a vida dos mais pobres e acabar com privilégios das classes mais abastadas. Também contextualizou a formação da social democracia. “Algo que deu finalmente poder de voto às mulheres, estabeleceram-se as leis sociais privilegiando os trabalhadores”, citou.

Afirmou ainda, que hoje, no Brasil, tenta-se liquidar os direitos dos trabalhadores para restabelecer o poder do dinheiro. Quando o maior número possível de decisões econômicas é tomado por empresas e indivíduos, não mais pelo Estado ou por organizações coletivas. E que, a volta dessa ideia de liberalismo para o Brasil, resultou na eleição do atual presidente. “O Bolsonaro é o animador de picadeiro, desse circo em que o capital financeiro transformou o Brasil. É um animador de picadeiro desse país, onde o povo come sopa de ossos enquanto o Ministro da Fazenda tem bilhões de dólares depositados em paraísos fiscais”.

Relembrou as ações realizadas em seus três mandatos como governador, e o quanto elas transformaram a vida da população. E a necessidade de mais união entre os partidos para combater os desmandos dos atuais gestores dos governos nacional e estadual. “Acredito que ainda temos como corrigir os erros desses que estão no poder e dar um novo rumo ao Paraná, por isso estamos aqui. Vamos enfrentar o problema, com coragem e forte apoio popular. É fundamental o apoio de vocês. Podemos consertar isso, mas é preciso união e conversar com menos emoção e mais racionalidade. Só assim estaremos dando a nós mesmos a chance de reassumirmos o Governo do nosso Estado e mudar todas essas coisas”, reforçou.

Além de Enio Verri, estavam presentes na Caravana Requião o deputado estadual e presidente do PT no Paraná Arilson Chiorato; o deputado estadual, Requião Filho (MDB); o deputado estadual Professor Lemos (PT); representando os vereadores do Norte Pioneiro, o Professor Nilton Stein (PT), de Jacarezinho; a vereadora de Curitiba Carol Dartora (PT); a ex-vereadora e presidente do MDB de Ribeirão Claro, Professora Eliana Cortez; representando os movimentos sociais e sindicais, Marcio Kieller, presidente da CUT Paraná; representando os prefeitos e ex-prefeitos da região, Jorge Nunes, de Santa Mariana; o Vice-Prefeito de Santa Mariana, Jose Luiz Amadeu e representando o PT do Norte Pioneiro, Selma Ambrosio, entre outras lideranças.

Caravana Requião

A Caravana Requião, Me Chama Que Eu Vou chegar fará eventos regionais. Começou no dia 23 de setembro, no município de Francisco Beltrão, no Sudoeste, e já programou dia 23 de outubro, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais.

O primeiro ato em Francisco Beltrão reuniu representantes de cerca de 30 municípios. Segundo organizadores, a caravana tem o objetivo de discutir e chamar a atenção do povo do Paraná para o que acontece no Estado e no Brasil.

Veja a Caravana Requião, em Jacarezinho na página do facebook de Enio Verri.

Enviar mensagem
Vamos conversar?
Olá!
Envie sua mensagem para o deputado Enio Verri.