“Inflação é instrumento de concentração de renda no Brasil”, destaca Enio Verri

Em audiência pública, Verri apontou que Banco Central tem política ultrapassada para conter inflação no Brasil

CFT debate inflação no Brasil

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados discutiu, nesta quarta-feira (28), o crescimento da inflação no Brasil no contexto da pandemia e suas implicações na economia e na vida da população brasileira. A audiência pública foi presidida pelo deputado Enio Verri (PT-PR), autor do requerimento que solicitou o debate.

Enio Verri, que também é economista, explicou que a inflação é um instrumento de concentração de riqueza. “A inflação tira do trabalhador, que só tem a sua força de trabalho para sobreviver, e transfere a riqueza para a mão de quem é dono das mercadorias, leia-se, desde o arroz e feijão até o preço dos veículos, como vivemos hoje no Brasil”. E destacou que o que mais sobe e tem aumento de preço são os bens de consumo dos trabalhadores, como por exemplo, alimentos e combustíveis.

A aceleração da inflação gera implicações significativas na economia – seja sobre a atividade econômica, as finanças públicas, as empresas e as famílias, seja de ordem distributiva, na medida em que os extratos menos favorecidos da população são os mais afetados. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) a inflação, medida pelo IPCA nos últimos 12 meses até agosto, foi de 9,68%.

De acordo com os dados apresentados pela supervisora da Área de Preços do Dieese, Patrícia Costa, o acumulado do índice de inflação em 12 meses – de setembro de 2020 a agosto de 2021 – no botijão de gás é de 31,58% e na energia elétrica é de 20,40%. Já a alimentação no domicílio teve um acúmulo de 17,06%. No geral, 72% dos produtos analisados para se calcular a inflação tiveram aumento de preço.

“Tanto a alimentação no domicilio, como o botijão de gás e a energia elétrica são bens e serviços que pesam muito para as famílias de baixa renda. Elas, já em 2020, tiveram que pagar mais caro pelos alimentos e vem pagando também mais caro para comprar o gás que permite que elas cozinhem e também a energia elétrica que mantém o alimento refrigerado, enfim, que dá qualidade de vida para todas as famílias”, afirmou Patrícia Costa.

Política de preços no Brasil

O deputado Enio Verri disse que se preocupa com a atual política de preços que é utilizada pelo governo Bolsonaro. “O que me preocupa é que essa política, que nós temos hoje, de incentivar a exportação e de deixar que o mercado se ajuste, nós temos aí, de fato, e isso é importante analisar, uma inflação que pode ser chamada de oligopólio ou de monopólio. Como funciona isso: as empresas querem ter lucro, se cai a demanda, o que ela faz? Ela dobra o preço. Ela mantém, em números absolutos, o mesmo lucro, aumentando o preço”. E completou: “Onde se tem uma política dita de ‘livre mercado’, que concentra riqueza, nós temos uma inabilidade da gestão pública de fazer esse enfrentamento”.

Taxa de Juros e inflação

O parlamentar do PT do Paraná também falou sobre o papel do Banco Central e a política de aumentar as taxas de jutos para diminuir a inflação. “É uma política ultrapassada, que vai aumentar, ainda, a crise. Porque se nós já estamos com um problema de consumo, se há um problema de miséria, de desemprego, se as empresas têm dificuldade de sobreviver – isso é muito sério –, se você aumentar a taxa de juros, as pessoas vão comprar menos ainda”, frisou o deputado. E explicou que com preço de monopólio ou de oligopólio, mesmo que o consumo aumente, a inflação continua ou piora a recessão econômica. “Esse é um risco que nós estamos vivendo”, alertou.

Combustíveis

Outro índice bastante elevado foram os dos combustíveis.  A gasolina, o acumulado em 2020 era de -0,29%, de janeiro a agosto de 2021 subiu para 30,87% e no acumulado em 12 meses, até agosto, subiu para 38,67%. Já o etanol chegou a 61,89% e o diesel 34,35% no acumulado em 12 meses.

Ascom e PT na Câmara

Enviar mensagem
Vamos conversar?
Olá!
Envie sua mensagem para o deputado Enio Verri.