Liberação de acesso a armas deve aumentar casos de feminicídios, alerta Verri

O decreto que facilita a compra e o uso de armas de fogo, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, na terça-feira (15), continua repercutindo. O deputado Enio Verri (PT-PR) avalia a medida como um passo a mais rumo à “barbárie”.

Para o deputado Verri, o decreto presidencial que libera a posse de até quatro armas por pessoa é mais um ato do governo Bolsonaro contra a população pobre e periférica do País, a maioria das pessoas entre as mais de 60 mil assassinadas, anualmente.

“A liberação de acesso a armas está apontada contra as mulheres, cujo feminicídio é um dos maiores do mundo. Também contra pretos pobres, de 16 a 29 anos, que são mais de 70% das vítimas por arma de fogo. E também contra os movimentos sociais, diuturnamente criminalizados nos discursos de Bolsonaro”, afirma Verri. Conforme o deputado, “esse governo conduz o Brasil a uma guerra civil”.

Verri destaca que o Partido dos Trabalhadores vai ingressar no Supremo Tribunal Federal com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, além de apresentar Projeto de Decreto Legislativo “para impedir mais essa barbárie contra a nação.”