Projeto de Enio Verri impede privatizações e defende a soberania nacional

Tramita na Câmara dos Deputados o PL 2715/20, que impede a privatização das empresas estatais, por até um ano depois do fim da pandemia do coronavírus. Segundo o seu autor, o deputado federal Enio Verri, o motivo principal para não se privatizar é a vital necessidade de manter o patrimônio nacional nas mãos dos brasileiros. Ainda de acordo com o parlamentar, as empresas, Banco do Brasil, Petrobras, Eletrobras, Caixa, Correios entre outras, serão determinantes para a recuperação da economia brasileira e a reinserção do País no cenário mundial.

“Esse patrimônio vem sendo construído pelos brasileiros, há séculos, como a Casa da Moeda. Ele não pertence a qualquer governo passageiro, senão à nação, que tem o direito e o dever de assim os conservarem a bem da soberania nacional”, disse Enio Verri.

As estimativas mais otimistas para o PIB, de 2020, será um crescimento de -6,25%. Em março, o recuo da produção industrial foi de 9% e, em abril, despencou 18,8%. Segundo o deputado, esse é outro motivo pelo qual o governo deve abandonar qualquer intenção de se desfazer de alguma estatal. De acordo com ele, a economia mundial pós-pandemia estará em frangalhos, como um todo, mas ainda mais a de países emergentes, como o Brasil, cujo valor dos patrimônios será bastante deteriorado, sendo melhor investir neles do que vender a valor aviltante.

“Ao fim da crise sanitária mundial, com a população em condições de produzir, o governo deve se concentrar em investir pesado na geração de empregos para recuperar a economia. Nesse sentido, o Estado é o principal e o primeiro propulsor da retomada, como a Caixa, por exemplo, que pode aumentar os investimentos no Minha Casa Minha Vida e colocar em marcha uma das mais extensas e complexas cadeias produtivas da economia, a do setor de construção civil”, disse Enio Verri.