PT repudia ataque de Eduardo Bolsonaro à China

A presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), e o líder da Bancada do partido na Câmara, Enio Verri (PR), repudiaram hoje (19), em nota oficial, as declarações contra a China feitas pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). “Neste momento delicado em que toda a humanidade faz esforços para superar uma calamidade ainda de dimensões incertas, a união de todos os países é fundamental”, afirmam Gleisi e Verri na nota.

Os parlamentares se somaram às declarações do embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, para quem a postura do deputado “não condiz com a estatura de um congressista ou de uma figura pública”. O deputado acusouo a China de preferir esconder a doença a se expor ao desgaste, indicando que uma ação contrária poderia ter salvo muitas vidas. Os petista salientam que há ainda a agravante de Eduardo Bolsonaro ser filho do presidente da República do Brasil.

Grandeza e responsabilidade

“Neste momento, é fundamental que o presidente e os que o cercam tenham a grandeza e a responsabilidade necessárias para o enfrentamento da crise colocada. Não podemos aceitar que integrantes dos poderes constituídos sejam protagonistas de atos movidos pela xenofobia ou mesmo por interesses econômicos e/ou geopolíticos estranhos aos interesses nacionais.

Leia a íntegra da nota:

“Nota da Bancada do PT na Câmara sobre a China

A Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados vem a público manifestar seu repúdio às manifestações do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) em relação à China por meio de suas redes sociais.
Neste momento delicado em que toda a humanidade faz esforços para superar uma calamidade ainda de dimensões incertas, a união de todos os países é fundamental.

Somamos nossa voz à do embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, para quem a postura do deputado não condiz com a estatura de um congressista ou de uma figura pública. Acrescentamos a agravante de o deputado ser filho do presidente da República do Brasil.

Neste momento, é fundamental que o presidente e os que o cercam tenham a grandeza e a responsabilidade necessárias para o enfrentamento da crise colocada.

O alinhamento subalterno ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não encontra sintonia com as necessidades do Brasil, que já vivia uma crise econômica agora agravada pela pandemia do coronavírus.

A China tem sido o principal parceiro comercial do Brasil, tendo investido U$79 bilhões no período entre 2003 e 2019.
Além disso, a China tem sido exemplar nas medidas internas para conter o avanço do Covid – 19, bem como nas ações de solidariedade e apoio a outros países como recentemente fez com a Itália, enviando materiais e suprimentos para auxílio dos profissionais da saúde e dos doentes.

Não podemos aceitar que integrantes dos poderes constituídos sejam protagonistas de atos movidos pela xenofobia ou mesmo por interesses econômicos e/ou geopolíticos estranhos aos interesses nacionais.

Nossa solidariedade ao povo chinês e a seu governo!

Brasília, 19 de março de 2020

Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores

Enio Verri (PT-PR), líder do partido na Câmara dos Deputados”