Verba destinada por Verri entra na conta da prefeitura de Colorado

O município de Colorado recebeu R$ 200 mil para investir na manutenção de unidades de saúde. O recurso está no caixa da prefeitura, que deverá usá-lo para oferecer aos mais de 23 mil habitantes de Colorado, que pagaram por isso, mais conforto à uma demanda já tão desgastante. O valor é referente a uma emenda parlamentar, de autoria do deputado federal Enio Verri (PT). Segundo o Parlamentar, embora ele tenha a consciência de que o valor é muito aquém das demandas e do merecimento do município, é muito gratificante saber que sua atuação política contribuiu para a proteção da saúde dos paranaenses.

“É sempre um prazer contribuir para o desenvolvimento e bem-estar da população paranaense, que merece o mais digno atendimento de suas demandas. É certo que a prefeitura investirá de forma a oferecer mais conforto à população de Colorado”, disse Enio Verri.

Porém, segundo o deputado, a reforma da Previdência, aprovada na Câmara e na iminência de ser aprovada no Senado, é muito mais preocupante para o futuro econômico e social de Colorado que qualquer limitação de verbas. Os valores das aposentadorias e das pensões, pagas pela Seguridade Social, representam 24,4% do que o município arrecada com Fundo de Participação Municipal, ISSQN, IPTU e Royalties. Devido às reduções impostas aos assalariados, essa participação pode ser reduzida para 12%. Com menos dinheiro, os aposentados e pensionistas consumirão menos, o comércio venderá menos e a prefeitura, também, arrecadará menos.

Para o deputado, isso cria uma conjuntura recessiva, reduzindo a capacidade da administração de realizar licitações para obras, compra de serviços e de equipamentos e do comércio contratar mão de obra, aumentando ainda mais a crise de desemprego. Enio Verri acredita que ainda pode haver uma reação popular que faça os três senadores do Paraná rejeitarem o texto que 24 dos 30 deputados federais do estado ajudaram a aprovar.

“De fato, são muito preocupantes as políticas ultraliberais do governo federal, corroboradas pelo governo do estado. A população já está mais consciente dos desdobramentos da reforma. Acredito que ela possa se organizar e pressionar os senadores do Paraná para votarem contra a destruição da Seguridade Social que, aliás, é superavitária”, afirma Enio Verri.