Verba destinada por Verri entra na conta da prefeitura de Santo Inácio

Em 2018, no município de Santo Inácio, o pagamento das aposentadorias e das pensões, da Seguridade Social foi 68% do arrecadado com Fundo de Participação Municipal, ISSQN, IPTU e royalties. Porém, as regras da Nova Previdência podem cortar até 50% do auferido pelos pagamentos da Previdência Social. Para o deputado federal, Enio Verri, “é estarrecedor observar a inação da população, quando já está claro para todos que essa política vai aprofundar a recessão, a fome e a miséria”. Para o deputado, não é necessário ser especialista em Economia para perceber que a Nova Previdência não vai destravar a produção e a geração de emprego.

“Pelo contrário, com menos dinheiro em circulação, as pessoas vão consumir menos e o comércio sentirá o irreversível resfriamento da atividade econômica. Sem vender, também não contrata. O mesmo se dará com a prefeitura, que arrecadará menos e contratará menos obras e serviços, contribuindo para aprofundar o desemprego. Ou seja, trata-se de uma política de paralisação da roda da economia. O PT fez justamente o contrário, colocou dinheiro na mão do pobre, que fez a economia se aquecer”, explica Enio Verri.

Em meio à conjuntura recessiva, a prefeitura de Santo Inácio recebeu R$ 100 mil para investir na manutenção das unidades de saúde. O autor da emenda esclarece que a ação tem a pretensão tão somente de ser mais um passo na construção de um sistema de saúde que tenha condições de tratar a maioria de seus habitantes no próprio distrito. Porém, o deputado se vê muito preocupado com a conjuntura econômica que o governo Bolsonaro está criando, sem perspectiva de desenvolvimento. “O que se vê é um país inteiro ser destruído sem uma contundente reação popular que retome o Brasil aos brasileiros”, declara Enio Verri.